quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Balouço


Rompia pertinaz o vento
Ia e vinha, rangia
Sebento

Equipara a terçado
Foice e faca
Machado

A criança que ali brinca
Assassina e indigna
Feria

Co-memoro sonante
Ante ao ir e vir
Do balouço
Cantante

4 comentários:

Ricardo Passos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Passos disse...

E no balouço, que vai e vem, passo a passo, vai um Passos, vem outro Passos, do outro lado do Atlântico.
Abraço

Lih...Amarante disse...

Gostei da intelectualidade e poesia do teu espaço!
Abraço!

Maria Júlia Pontes disse...

Gostei de ler poeisa sua Passos, sem pre leio só prosas.
Belo poema.